Carta para uma (ex) amiga

Por Débora Mendes Publicado em: 11 de março de 2016 às 17:00.

Tags: carta, para, amiga,

Texto da colunista Débora Mendes

Nessa carta gostaria de me referir a você como amiga, mesmo com todas as distâncias e contradições que há entre nás. Mas não sei se devo fazer, não existe mais nós. Acabou! Não sei mais quais são seus sonhos e medos. Não sei quem é você!


Estamos em constate mudança, eu sei disso, não somos a mesma pessoa que éramos há um ano.  A transformação acontece naturalmente, com nossas escolhas e experiências. Mas a essência deve prevalecer. 


Sempre que conhecemos novas pessoas absorvemos um pouco dela em nós. Passamos a compartilhar gírias, manias e trejeitos. Mas precisamos saber até onde isso deve ser feito, o que é legal ou não.Os relacionamentos precisam vim para nos transbordar, não para nos completar. (Amiga) é preciso saber se bastar por si só, para aprender a conviver.


Eu sei que você deve estar achando que sou louca, que nada disso aconteceu. Mas, infelizmente, aconteceu. Você absorveu tanto ele, que se tornou parte dele mas não se fez parte nele. Eu sei que você é feliz com a vida que tem levado, eu só espero que você não sinta falta de quem você era. Porque essa ausência me machuca, e não desejo que esse sentimento também te faça sofrer.


Nunca achamos que estamos em um relacionamento abusivo, entretanto é o que mais nos rodeia, seja com amigos, namorados ou contatos profissionais. Eu acreditava que você era forte para não se deixar passar por isso. Me enganei. Talvez tenha sido fraca também, não soube lhe ajudar da forma certa e posso ter piorado tudo. Me desculpa!


(Amiga) escrever essa carta dói, mas eu precisava me despedir. Não estou lhe escrevendo para tentar te influenciar a abandonar tudo, apenas entenda que nesse relacionamento tem que ter um pouco menos dele. Você deve ter desejos que sejam seus, amizades que sejam suas, um espaço que seja seu. Volto a repetir, você precisa se bastar por si só, até mesmo para fazer que ele seja feliz de verdade. Porque o que você faz hoje é satisfazer o ego dele. 


Essa carta, não é para tentar refazer nossos laços. Muito pelo contrário, é um adeus. Quem você era não existe mais, e não quero ser amiga de quem você se deixou tornar. Seus brilhos dos olhos apagaram e as canções da madrugada se silenciaram.


Espero que você seja feliz!

Com carinho de uma (ex) amiga.

Deixe seu comentário



Assista aos programas