Comida de mãe

Por Débora Mendes Publicado em: 07 de maio de 2016 às 13:00.

Tags: comida,

Texto da colunista Débora Mendes

Me desculpe aqueles que estudaram para exercer a profissão ou que nasceram com o dom, mas não há cozinheiro que consiga fazer um prato com sabor de comida de mãe. Pode ser a melhor comida caseira, para os mais nostálgicos feita no fogão a lenha, mas se não foi feita pelas mãos daquela que te criou não tem o mesmo sabor.

 

Deste que fui morar longe, minha busca sempre foi pela comida com sabor de casa, de afeto e de aconchego. Quando a saudades aperta, arrisco ir para a cozinha, e o telefone da minha mãe toca, quero saber o melhor jeito do preparo, a receita ou a medida. Mas de nada adianta, falta sabor no final da refeição.

 

É questão de energia, da ternura colocada dentro da panela. Mesmo aquelas que não se dão bem com a cozinha, já se comprometeram uma vez a preparar o prato do filho, e tenha certeza que ele se lembra, mesmo que tenha passado do ponto ou faltado sal, a comida de mãe tem sabor único.

 

Comida de mãe nunca falta, sempre tem abundância na mesa, se falta alimento sobra dedicação e compromisso. O sabor de colo de mãe, de saber que sempre você vai ter um lugar pra onde voltar, e nessas horas pensar em calorias não é valido, sempre tem espaço pra mais.

 

Tempero de mãe é alma, é o arroz grudado e o frango em todo almoço de domingo, é chegar em casa com cheiro do biscoito de polvilho saindo do forno, é se despedir com a mão cheia de marmitas. Comida de mãe é alento, é a pausa da rotina, é a união em volta da mesa.

 

Deixe seu comentário



Assista aos programas