Confissões à taça de vinho

Por Débora Mendes Publicado em: 28 de junho de 2016 às 13:00. Atualizado em: 28 de junho de 2016 às 12:42.

Tags: confissoes, taca, vinho,

Texto da colunista Débora Mendes

Ela devora a taça de vinho barato, enquanto perder longos minutos olhando para o céu cinzento do fim da tarde. A falta de cor da imensidão a encanta, talvez por combinar com o pessimismo que a consome. Ela precisa se perder pelo mundo, para tentar achar em qual esquina seus sorrisos foram abandonados.

 

Ela tem definhado pelo medo de arriscar, o mundo tem cobrado tanto e ela não se acha capaz. Ela tem medo do julgamento, da decepção, da solidão! Ela precisa de ajuda, mas se nega a assumir suas fraquezas.

 

Enrolada em cobertores ela procura aconchego para noite fria, enquanto faz confidências a garrafa de vinho. Seus sonhos são derramado em lágrimas: formar, conseguir um bom emprego, comprar um apartamento, viajar pelo mundo, casar, ter filhos…


Ela não sabe a diferença do que quer e do que impuseram para ela querer, a vontade em acabar é a vontade de recomeçar. Mas a verdade é que ela se afoga no vinho por instabilidades hormonais, porque o clichê é a verdade em poesia, e quando ela esta em TPM o sofrimento se faz em qualquer coisa.

Deixe seu comentário



Assista aos programas