Mais um dia

Por Débora Mendes Publicado em: 31 de maio de 2016 às 13:00.

Tags: efemeridade, tempo,

Texto da colunista Débora Mendes

Acabou o almoço em família, é tarde de domingo, estamos deitamos no sofá de nossas casa, assistindo a péssima programação da tv aberta, enquanto reclamamos. Somos engolidos pela contradição do tédio na efemeridade do tempo, nunca sobra tempo para fazer nada, em raros momentos fazemos o que realmente desejamos.

 

Escutamos inúmeros vezes os dizeres de espanto que o tempo tem passado cada vez mais rápido, que antes se sobrava tempo pro descanso e pra conversa com o vizinho e que hoje não há nem mesmo para o necessário. Não entendemos que o tempo não muda, que a rotação da Terra em volta do Sol continua a mesma, o tempo não é relativo, mas nossa percepção sim.

 

As cobranças que recebemos da sociedade aumentaram. Precisamos ser bem sucedidos profissionalmente, cuidar da casa e da família, ir a academia, manter nossas redes sociais atualizadas, ir a boates e bares com os amigos, fazer pelo menos uma viagem por ano,  não repetir a roupa nos finais de semanas e ainda, se possível, ir a missa todos os domingos.  

 

Somos reféns de uma rotina. Encontramos refúgios no happy hour, entre cervejas e tequilas do final de semana, aproveitamos a vida por algumas noites de porre, que muitas vezes as únicas lembranças são as fotos guardados no celular. Somos engolidos pelo tédio dos domingos e já começamos a semana mal tratando a coitada da segunda feira.


A verdade é que desejamos que a semana passe rápido, mas a vida devagar. Sinto informar, que não será possível, e devemos ficar feliz por isso. Devemos viver nossas rotinas, aprender a gostar dos nossos dias, sejam eles terças ou sábados. Precisamos parar de viver sempre a espera do final de semana, do próximo feriado, da formatura, do casamento, da viagem de férias. Porque mais um vez o clichê é a verdade em poesia, cada despertar é sempre um novo dia, nunca um dia a menos.

Deixe seu comentário



Assista aos programas