Espelho, espelho meu... Ser

Por Nuna Costa Publicado em: 10 de novembro de 2015 às 17:00.

Tags: espelho,

Texto da colunista Nuna Costa

Se descobrir é um exercício curioso e doloroso. É difícil encarar os defeitos que exigem esforço para serem superados. Exige vontade de querer que eles sejam superados para algo melhor. E nós também temos virtudes, e nossos defeitos nada mais são do que uma virtude em meio às sombras do exagero ou da carência. As virtudes merecem especial atenção e uma sensibilidade conquistada aos poucos, de tempos em tempos.


Costumava exercitar um diário, escrevia nele sobre meu dia, às vezes algum sonho outras noites refletia sobre algo que ouvi. E de repente parei, retornei a alimentar meu lado vicioso e está tudo tão rápido. Não parece que os dias voam? Como dizem "o ano já acabou". Não acabou não! Hoje são dez de novembro, temos ainda 52 dias para viver o ano de 2015.

 

Tem tanta coisa acontecendo que é extremamente difícil encontrar o centro de ser um humano. O tempo passa e a pior sensação de se ter é a de que você não consegue acompanhar o ritmo. O tempo. São as responsabilidades que sinto da transição da adolescência para a vida adulta.

 

Crescer doi.

 

Mas é uma dor prazerosa. É a complexidade de se descobrir humana e mulher. Seguir o que o mundo dita ou o que a sua alma te grita? Já conversou consigo mesma? Já se perguntou quem é? Faço isso todos os dias, normalmente quando ando na rua sozinha, é interessantíssimo o que se descobre. O que se lembra.

Deixe seu comentário



Assista aos programas