Gaveta de histórias... Paixões de Aluska

Por _BemFeminina Publicado em: 02 de junho de 2015 às 13:02. Atualizado em: 02 de junho de 2015 às 13:01.


Ola meninas!

 

Esse é o quarto capítulo de “Paixões de Aluska” na Penteadeira Poética e uma reviravolta na vida de Aluska está para acontecer! Será que ela se libertará desse amor doentio?

 

Se perdeu algum capítulo é só clicar em capítulo 1 e capítulo 2 e capítulo 3.

 

Divirtam-se e comentem ;)

 

Nuna Costa

 

nuna-costa@hotmail.com

 

Segunda, 10 – 11 – 1997


Querem me transferir no trabalho. Outro país. Parece que o universo quer que eu me afaste dele permanentemente. Alguém ouviu minhas preces! Não sei se consigo suportar a falta dele, mas como as coisas andam entre nós, melhor a distância. Conseguir apagar da memória a lembrança dele. O que fazemos um com o outro não é certo.

 

Eu sei, que ele, tanto quanto eu, sai machucado. Pelas incontáveis vezes que nossas atitudes inconsequentes e incontroláveis, desse amor desmedido e sem rumo, nos leva a cometer. Eu preciso me afastar definitivamente. Estar com ele é o céu e o inferno ao mesmo tempo. Estar longe dele será um breu profundo. Não faz bem estar longe dele.

 

Vou enlouquecer. É possível que eu já esteja. Posso aceitar meu destino longe dele, mas nunca sentirei por outro o que tenho e sinto por ele. Assim como eu sei que nunca afastarei ou apagarei da minha mente os beijos. Os abraços. Os olhares. As noites de amor. O sofrimento da espera e do desprezo. A dor de pensar em perdê-lo nunca foi tão palpável. Tão nitidamente concreta. 


Ir não vai me fazer esquecê-lo porque não quero. Ir não vai me deixar animada ou se quer empolgada em conhecer as pessoas ou o lugar seja qual for que me transferirem. Nada vai me interessar porque não haverá ele.

 

Melhor. Bem melhor. Preciso conseguir não me lembrar dele.

Deixe seu comentário



Assista aos programas