Gaveta de histórias... Paixões de Aluska

Por _BemFeminina Publicado em: 07 de abril de 2015 às 13:00. Atualizado em: 07 de abril de 2015 às 13:29.


Olá pessoal

 

Hoje na Penteadeira Poética tem mais um capítulo de “Paixões de Aluska” pra vocês! Essa é a história de uma brasileira de 25 anos desabafando sua decepção amorosa, as reviravoltas que a vida reserva e talvez novas paixões!

 

Uma parte do seu diário será revelada todo mês! E se você perdeu o primeiro capítulo é só clicar aqui!

 

Divirtam-se

 

Nuna Costa

 

nuna-costa@hotmail.com

 

Sexta, 7 - 11 - 1997

 

Não posso resistir, é mais forte. Não posso controlar-me perto de ti e isso é insuportável. Se eu pudesse simplesmente sumir e nunca mais ter que olhar em seus olhos ou ter que ouvir tua voz, seria de grande ajuda pra minha sanidade mental que está prestes a ruir em pedaçinhos.

 

Quando não estou contigo, estou pensando em você, se não penso em você escrevo sobre você. Isso é tóxico. E está me deteriorando aos poucos. Fui tola e nem percebi o quão dependente de ti estava ficando. Droga!

 

Apareceu sutilmente com aquele jeans surrado, a barba de três ou quatro dias e o sorriso, tudo em você sorria, teus olhos escuros como a noite, com pequenas matizes cinzas, brincavam comigo e eu me deixei levar. O que despertou em mim quando te vi pela primeira vez nunca mais sentirei com nenhum outro, pensei que minhas pernas não mais me respondiam, perdi o fôlego, as palavras não de completavam e eu não fazia ideia do que estávamos conversando, só existia você e eu, o universo tinha sumido de repente, e você se aproximou, lentamente, acariciou o meu rosto e teus lábios vieram de encontro aos meus.

 

Naquele momento eu me perdi em você completamente e nem ao menos percebi. 

Deixe seu comentário



Assista aos programas